quinta-feira, outubro 16, 2008

O medo das (coisas) baratas






Só com os músculos e agilidade, Bruce Lee destroçava gangues inteiros a golpes de kungfu, mas, afinal, tinha medo de baratas, revela uma nova série televisiva sobre o herói dos filmes de artes marciais dos anos 60/70. Trata-se também da primeira série sobre Bruce Lee (1940-1973) produzida no continente chinês e, além das suas proezas físicas, pretende mostrar o lado humano do personagem. "A maioria das pessoas só conhece Bruce Lee como um super-herói que vencia sempre, mas ele era também um homem vulnerável", disse o actor Chan Kwok Kwan, que faz de Bruce Lee. A série, com 50 episódios, está a ser exibida no primeiro canal da CCTV (Televisão Central da China), a seguir ao principal telejornal do país.

O Governo chinês criará um comité para enfrentar as "incertezas fiscais" que a recessão económica mundial poderia produzir no país, informa hoje o diário "South China Morning Post".
O comité, que será liderado pelo vice-primeiro-ministro Wang Qishan, seguirá de perto as mudanças financeiras no exterior e responderá com ajustes nas políticas económicas nacionais se considerar necessário, acrescenta o jornal.

As reservas da China em divisas aumentam em média 41 mil milhões de dólares por mês (30,3 mil milhões de euros) e no fim do ano vão ultrapassar os 2 biliões de dólares (1,5 biliões de euros). Em Setembro passado - anunciou hoje o banco central chinês - as reservas da China em divisas externas somavam 1,905 biliões de dólares (1,4 biliões de euros), mais 377,3 mil milhões de dólares (280 mil milhões de euros) que no final de 2007. São as maiores reservas do mundo e reflectem o elevado saldo da balança comercial chinesa, nomeadamente com a União Europeia, que é o maior parceiro da China. Segundo estatísticas oficiais, nos primeiros nove meses de 2008, as exportações chinesas somaram mais 180,9 mil milhões de dólares (134 mil milhões de euros) do que as importações. Pelas contas de Bruxelas, em 2007, as exportações da União Europeia para a China somaram apenas 72 mil milhões de euros, enquanto as suas importações atingiram 231 mil milhões de euros.
"O défice da Europa em relação à China - afirma a Comissão Europeia - "aumenta 17 milhões de euros à hora".

(medley construído a partir de várias notícias da LUSA)
.

3 comentários:

Maresia disse...

Parabéns pelo meddleY!!!

j simões disse...

só sobre a primeira parte:

a minha admiração prende-se com o facto de bruce lee não ter sido reabilitado há mais tempo. mesmo nos tempos de mao. é que nos filmes de lee, o mau, com u, é sempre japonês e o explorado e o oprimido é o chinês... um facto nunca referido, porque aqui no ocidente tudo o que tem "olhos em bico" é chinês, um pouco à semelhança dos pretos serem todos iguais.
estimula o nacionalismo na luta contra um inimigo externo.serve ao regime.

j simões

F. Penim Redondo disse...

Realmente tenho podido constatar que os japoneses estão longe de ser populares no Império do Meio.