sexta-feira, fevereiro 27, 2015

A justificação não pega.



A justificação não pega.
Costa grita todos os dias que o país está uma desgraça sem se preocupar com as repercussões que isso pode ter na imprensa internacional, que o escuta com curiosidade por ele ser o putativo próximo primeiro ministro.
Agora quer convencer-nos de que foi numa remota e recôndita sessão para chineses que resolveu preocupar-se com a má fama do país. Mais depressa acredito que, naquele ambiente pouco mediático, Costa pensou que podia dizer impunemente o que qualquer pessoa sabe (mesmo que evite dizê-lo)

terça-feira, fevereiro 24, 2015

sexta-feira, fevereiro 20, 2015

terça-feira, fevereiro 17, 2015

Leninista involuntário







.

O equivoco grego





O equivoco grego

a questão não é escolher entre ser um mendigo que faz pena ou um mendigo que mete medo. 
A questão é como deixar de ser mendigo.

domingo, fevereiro 15, 2015

quarta-feira, fevereiro 11, 2015

segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Austeridade fazem os alemães



Austeridade fazem os alemães
só se dá ao luxo de ser austero quem, podendo gastar mais, gasta menos.
É portanto uma escolha. A moderação dos gastos que constatei espantado nas ruas de Berlim ou de Oslo.
Os países pobres não vivem em austeridade mas sim na penúria ou, em certos casos, na miséria extrema. No fundo precisam de tomar medidas no plano económico, social e cultural para um dia poderem, se quiserem, decidir ser austeros.
O "engenheiro" José Sócrates acaba de contribuir, involuntáriamente, para a demonstração da incompreensão social desta abordagem.
Instado sobre a sua vida sumptuosa em Paris, sem meios para tal, achou que seria uma boa resposta dizer que o fazia com empréstimos de um amigo.
Mesmo admitindo que tal seja verdade é revelador que ele exiba essa falta de austeridade na presunção de que será compreendida e bem recebida pelos portugueses.

Requiem de Campra



Requiem de Campra

há muitos anos decidi que, a haver música no meu velório, gostaria que fosse esta. 
Ainda não mudei de ideias.

sexta-feira, fevereiro 06, 2015

Audições

.






Durante umas arrumações fui dar com os cadernos onde registava as audições.
Aqui ficam três páginas do ano 1989.

quarta-feira, fevereiro 04, 2015

A Democracia é o caminho



os gregos deram o exemplo e fizeram umas eleições baseadas na pergunta "quem quer deixar a austeridade?".
Os europeus todos devem fazer um referendo com a pergunta "quem quer continuar a mandar dinheiro para a Grécia?".
É preciso acabar com o défice democrático em que a Europa tem vivido.

terça-feira, fevereiro 03, 2015

A Jihad Helénica




A Jihad Helénica
Pobre Europa. Luta desesperadamente para não se afundar na globalização, sob a ameaça da China e dos países produtores de petróleo. Com Putin à ilharga.
No momento em que era imprescindível unir forças e manter a disciplina, para adoptar as medidas necessárias à competitividade global, a Europa está a ser varrida por todo o tipo de populismos irracionais e nacionalismos anacrónicos.
O último episódio desta decadência, que demonstra a falta de instituições com autoridade para gerir a crise, é a chantagem da Grécia.
Exige novos "fundos" para alimentar o mesmo buraco onde já foram despejados mais de 400 mil milhões de euros (que se esfumaram sem deixar rasto). Para isso Tsipras e Varufakis não hesitam em ameaçar com a detonação da bancarrota e a implosão do Euro.

segunda-feira, fevereiro 02, 2015

sábado, janeiro 31, 2015

O berço da civilização de volta à barbarie


A Grécia recebeu um primeiro empréstimo da troika de 110 mil milhões, depois teve um perdão de cerca de metade da sua dívida, seguiu-se um segundo empréstimo de 130 mil milhões. 
Todos esses empréstimos já foram revistos em condições muito mais vantajosas do que os concedidos a Portugal a quem só foram emprestados 78.000 milhões.
Apesar de tudo isto na Grécia um desempregado perde o direito de recorrer ao serviço nacional de saúde três meses depois de ter caído no desemprego.
Uma tal selvajaria só pode ter lugar num país de irresponsáveis governado por uma cleptocracia.

quinta-feira, janeiro 29, 2015

SNIPER AMERICANO




prepare-se para uma experiência emocionalmente dolorosa. E também para se sentir culpado por viver o seu dia a dia como se estas coisas não estivessem a acontecer.
Mergulhamos na retórica do Charlie Hebdo mas, ao mesmo tempo, omitimos os dramas e as amputações dos que metem a mão na massa. Quer pensemos que nos estão a defender ou que são apenas o braço do imperialismo. Mas lá longe.
Desde que o filme acabou não parei de pensar sobre qual das coisas é mais penosa; lutar contra um inimigo que se compreende e respeita, como fizemos na Guiné, ou contra um inimigo que repugna e se odeia.
Não consigo decidir.

quarta-feira, janeiro 28, 2015

Na terra do Sócrates


Na terra do Sócrates
é verdade que a Grécia foi o berço do filósofo mas, em termos de défice público, foi como se tivesse tido dois ou três em simultâneo.
Eu explico. Estes números da OCDE, que referem os anos do consulado do "engenheiro", mostram que se nós vivemos acima das nossas possibilidades então os gregos andaram na estratosfera, com défices duas ou três vezes superiores aos nossos.
Houve certamente muita gente na Grécia a acumular fortunas. Os montantes que entraram naquele país são de tal magnitude que um roubo em larga escala teve sem duvida que acontecer.
O mais caricato é que esses que roubaram, e que deviam agora ser responsabilizados e expropriados, conseguiram transformar um caso de luta de classes numa questão de nacionalismo.
Enquanto o povo grego culpar a Merkel poderão gozar paulatinamente das suas enormes fortunas.

terça-feira, janeiro 27, 2015

FlashBack





Acabei de publicar o livro "FLASHBACK - 300 câmaras em 3 anos" (versão em inglês)

quinta-feira, janeiro 22, 2015

Retrato pungente da Grécia.




Retrato pungente da Grécia.

País que alguns oportunistas insistem em arvorar como modelo (DN 22.01.2015).

quarta-feira, janeiro 21, 2015

Finalmente cidadãos do mundo



Finalmente cidadãos do mundo
raramente tomamos consciência, e valorizamos, a possibilidade recente de, durante uma vida humana, poder viajar aos quatro cantos do planeta.
Ir a Dublin e Abul Simbel, Cabo Horn e deserto do Sahara, muralha da China e Grand Canyon, Machu Pichu e fiordes da Noruega, dunas de Genipabu e Hymalaia, Varanasi e Mindelo, lago Baikal na Sibéria rio Cacheu na Guiné, etc, etc, numa única vida.
Há poucas décadas nem os mais ricos poderiam fazê-lo.

terça-feira, janeiro 20, 2015

O Reino das Narrativas



O estrondoso desmoronamento do BES e da PT em 2014 constitui uma demonstração incontestável da economia ficcional em que vivíamos.


.

sábado, janeiro 17, 2015

Je suis Birdman


Je suis Birdman

Não gostei do famoso "Babel" do mesmo Alejandro González Iñárritu, por excesso de folclore e coincidências. Mas este Birdman tocou-me, com a angústia e a esquizofrenia de quem, como artista, quer ser reconhecido em vez de famoso. E também a contradição insanável entre os que vivem num mundo de teorias e aqueles que dão o litro mesmo quando só têm sete decilítros e meio. 
É realmente a sina dos actores, mas não só. Está no cerne das nossas vidas.

segunda-feira, janeiro 12, 2015

FANATISMOS

.



Os fanatismos mais notórios são baseados em interpretações de um Livro considerado sagrado. O que está em causa é sempre obrigar os infiéis a um certo grau de pureza.
Mas os fanatismos mais complicados são aqueles que se baseiam em livros inexistentes ou, pelo menos, indeterminados ou ininteligíveis.
Quando o Livro existe sabemos ao menos o que nos exigem e o que rejeitamos.

terça-feira, janeiro 06, 2015

segunda-feira, janeiro 05, 2015

A matéria é um cérebro imenso



A matéria é um cérebro imenso                 
que o tempo vai sulcando                          

o universo é a memória do tempo              
os planetas são memórias do universo      

as montanhas são memórias dos planetas
as pedras são memórias das montanhas   

os vales são a memória dos rios              
              
as pedras resvalam para os rios                
e são arrastadas para o mar                      
onde rebolam por milhões de anos            
até serem areia                                          

a areia é a memória do mar                       

domingo, janeiro 04, 2015

Cínicos



Cínicos
fazem bicha em Évora para visitar o "engenheiro" na sua cela mas, quando ele estava com dificuldades económicas, depois de ter servido o PS durante anos, não o ajudaram.
Foi por isso que ele teve que recorrer ao seu amigo Santos Silva que se mostrou incansável e presente em todas as circunstâncias.
As dificuldade de Sócrates eram enormes; Basta dizer que além do empréstimo da CGD (120.000 euros) e da oferta da mãe de 75% do valor da venda do apartamento no Edifício Heron (450.000 euros) ainda teve que recorrer repetidamente ao seu amigo Santos Silva.
Ser Ex-PM deve dar muita despesa...

quinta-feira, janeiro 01, 2015

Dados esperançosos para 2015





2015 com um pouco de optimismo como convém
baseado em números e realidades económicas
(um terreno movediço em que as coisas mudam de forma inesperada)

quarta-feira, dezembro 31, 2014

2014-2015





É preciso é deslizar com elegância de um ano para o outro.

.

"Aquilo que acredita ser a sua verdade"

.



Á saída do Estabelecimento Prisional de Évora, António Costa referiu aos jornalistas que encontrou José Sócrates como já todos o conhecemos: com o espírito lutador de "quem vai lutar por aquilo que acredita ser a sua verdade".

"Aquilo que acredita ser a sua verdade" (disse António Costa), é difícil inventar uma frase mais assassina a fingir-se solidária.
O cinismo campeia no mundo da política e o PS assobia para o lado como se não tivesse inventado Sócrates e não o tivesse "vendido" aos eleitores e não se tivesse servido dele durante vários anos.
Como é possível que o PS agora fique passivamente à espera das conclusões da justiça, sem ter opinião e sem mexer uma palha para perceber se durante um governo seu, um primeiro ministro seu praticou a corrupção.
E os outros partidos também se fazem desentendidos.
O juiz Alexandre atacou os "vistos gold" e logo a AR se movimentou e toda a gente assumiu a culpa dos visados. O juiz Alexandre atacou o Salgado e logo a AR criou uma Comissão Parlamentar para esgravatar no bas-fond capitalista assumindo-se como uma espécie de "Casa dos Segredos".
Mas quando o juiz Alexandre atacou Sócrates, por indícios de ilícitos praticados em funções públicas que a AR deveria ter fiscalizado, toda a gente falou de outra coisa.
Não deveria o Parlamento estar a investigar que decisões do governo anterior podem ter tido motivações corruptas e que prejuizos foram causados ao país por tais eventuais desmandos?

Fraga da Pena