sexta-feira, dezembro 05, 2008

Atenção aos sinais

.


Esta sondagem do Expresso parece dar razão a João Pinto e Castro que, no Jugular, escreveu o post "Mais uma grandiosa manifestação, mais uma greve sem precedentes, e a maioria absoluta estará assegurada" e à Fernanda Câncio, no mesmo blog, com "um, dois, três, vamos contar outra vez".
.

5 comentários:

Exilado disse...

-Só mesmo se a maioria dos Portugueses.... enrabados estivessem dispostos a que um invertido lhes fosse novamente ao Cu.

António Abreu disse...

Admitindo que os números se aproximam da actual disposição de voto, importará sempre referir que se pode lutar por causas justas sem ter que esperar expectativas eleitorais correpondentes dentro da mesma conjuntura

F. Penim Redondo disse...

Caro António Abreu,

eu também acho que se deve lutar pelas causas justas mesmo que isso custe votos.
No caso vertente tenho dúvidas de que a causa seja justa e as sondagens ajudarão a perceber o que o povo pensa sobre essa matéria.
Como muito bem sabes o povo não se resume aos professores.

VÍTOR DIAS disse...

Caro Fernando Penim Redondo:

Lamento vê-lo a si, homem de espírito crítico à prova de bala, cair na «religião» das sondagens e no deslumbramento pelos números que fazem títulos.
Ainda por cima a respeito de uma sondagem que, em violação da lei, esconde dos leitores do Expresso os resultados brutos e, portanto, não permite saber qual a percentagem de pessoas que aos quesitos nada disseram mas que foram matematicamente distribuidos pelos diversos partidos, o que nunca se sabe se assim aontecerá em eleições reais.

F. Penim Redondo disse...

Caro Vítor Dias,

tem razão nas críticas ao Expresso mas eu uso o verbo "parece" no meu texto o que equivale a dizer que não tomo como indiscutível o resultado da sondagem.

Todo o post, incluindo o título "Atenção aos sinais", é no sentido de alertar aqueles que possam estar a fazer contas de somar- eleitorais- para o risco de as contas virem a ser de subtrair.