segunda-feira, outubro 11, 2010

Notícia desonesta



Lisboa, 09 Out (Lusa) - A China é o país que, anualmente, executa mais pessoas, superando a soma de execuções de todas as outras nações que aplicam a pena capital, revela a Amnistia Internacional, na véspera do Dia Mundial contra a Pena de Morte.

Esqueceram-se de dizer que a China tem uma população pelo menos duas vezes maior do que todos os outros países que aplicam a pena de morte no seu conjunto.
Assim se manipula vergonhosamente.

.

9 comentários:

Anónimo disse...

Não me parece que uma excelente proporcionalidade entre o número de execuções e a população seja o objectivo desejado nesta matéria ...

F. Penim Redondo disse...

Quem invocou a proporcionalidade não fui eu mas sim a Amnistia Internacional, ao comparar o número de condenações na China com as de outros países em vez de se limitar a lamentar todas.
Eu procurei mostrar que o fez de forma desonesta.

Frederico disse...

A Amnistia Internacional condenou à morte a objectividade e a isenção.

Rogério Pereira disse...

Desta vez Penim, estou contigo.

(embora sem deixar rasto tenho passado por aqui...)

Abraço

Anónimo disse...

Lamento voltar à carga mas, no despacho da Lusa, a AI não invocou proporcionalidade, mas sim valores absolutos.

Anónimo disse...

Para que se possa avaliar em consciência da "manipulação vergonhosa" e da "forma desonesta" como a AI tratou este assunto, talvez fosse instrutivo ler a notícia completa, que a AI intitulou de "Dez factos sobre a pena de morte":

"""No Dia Mundial Contra a Pena de Morte, que se assinala no dia 10 de Outro de 2010, a Amnistia Internacional reitera a sua oposição incondicional à pena capital. E deixa alguns factos sobre o tema:

1- A China executa mais pessoas todos os anos que a soma de todos os outros países do mundo.

2 - Mais de dois terços do mundo (139 países) aboliram a pena de morte na lei ou prática.

3 - No ano passado, 18 países executaram pessoas.

4 - No Japão, Hakamada Iwao tem estado no corredor da morte desde 1968 – acredita-se que seja o preso no corredor há mais tempo, em todo o mundo.

5 - A Bielorrússia é o único país da Europa que continua a levar a cabo execuções.

6 - Em 2009, 106 sentenças de morte foram aprovadas nos Estados Unidos da América, o número mais reduzido desde a reintrodução da pena capital no país, em 1977.

7 - No Irão, pelo menos 190 pessoas foram executadas desde o início de 2010. A informação reunida nos últimos anos, sugere que pelo menos 141 pessoas encontram-se actualmente sob sentença de morte por crimes cometidos quando tinham menos de 18 anos de idade, em violação à lei internacional.

8 - 2010 marca os cem anos da última execução levada a cabo na Suécia. Alfred Ander foi executado na guilhotina a 23 de Novembro de 1910.

9 - Existem mais de 3.000 presos no corredor da morte nos Estados Unidos; no Paquistão são estimados cerca de 7.000.

10 - No caso de Troy Davis, um homem que se encontra no corredor da morte, há mais de 19 anos, no Estado da Géorgia, E.U.A. – sete de nove testemunhas contra Davis retiraram ou mudaram os seus testemunhos iniciais que tinham realizado sob juramento."""

F. Penim Redondo disse...

Quando se diz "A China executa mais pessoas todos os anos que a soma de todos os outros países do mundo" está-se a estabelecer uma proporção entre a China e os outros, ou não está ?

Se se tivesse dito "A China executou x pessoas" eu não teria feito a minha crítica.

Francisco Clamote disse...

Peço desculpa, mas notícia não é de modo nenhum desonesta. Tenha a China a poulação que tiver, a afirmação da AI, a ser verdadeira, é simplemente a constatação de um facto.

Frederico disse...

Esta abordagem comparativa da AI pode ler-se da seguinte maneira: "não sabemos quantas condenações à morte houve na China mas pensamos que devem ser muitas".

Assim se evita indicar qualquer número que poderia sempre ser contestado.