segunda-feira, novembro 03, 2008

O desespero dos generais

.

"Os militares das Forças Armadas pagam uma renda média mensal de 139 euros nas casas atribuídas pelo Instituto de Acção Social das Forças Armadas (IASFA), organismo responsável pela execução da política social no Ministério da Defesa. Ao que o Correio da Manhã apurou junto de fontes conhecedoras, "há vários generais e almirantes que pagam menos de cem euros por mês de renda em casas com cinco e seis assoalhadas em zonas nobres de Lisboa.

Os dados estatísticos do IASFA, enviados ao CM após duas semanas de espera, indicam com uma precisão cirúrgica como estas rendas estão aquém da actual realidade do mercado habitacional: neste momento, num universo de 1543 fogos de renda económica e de renda livre, 881 militares, correspondentes a 57 por cento do total, pagam uma renda inferior a cem euros por mês e apenas 138, representativos de nove por cento do total, têm uma renda superior a 250 euros/mês."
Correio da Manhã, 02.11.2008
Não deve ser disto que fala Loureiro dos Santos quando refere o "desespero" dos militares.
Em Portugal as casas, e a sua apropriação, parecem ser uma fonte inesgotável de escândalos, de favorecimentos e de injustiças.
Talvez seja bom não esquecer que há uma geração inteira de portugueses que combateu em África e que para ter casa teve que a pagar (com excepção dos amigos de um qualquer presidente de câmara).
.

1 comentário:

j simões disse...

gostava de ter escrito isto