domingo, janeiro 10, 2010

De Pompadour a Antoinette

.



Membros do Blogue Jugular na sessão parlamentar onde foi aprovada a proposta do PS de casamento entre pessoas do mesmo sexo (neste video, Paulo Corte-Real, Maria João Pires, Ana Matos Pires, Fernanda Câncio, Isabel Moreira, Alexandra Tavares Teles, a deputada do Parlamento Europeu, Edite Estrela, Isabel Advirta, Eduardo Pitta e Sarah Saint-Maxent )


Também temos a nossa Pompadour, agora em versão laptop nas bancadas de S. Bento, twitando em directo as vicissitudes do casamento gay.
Sem a nossa Pompadour, estou convencido, o nosso Louis XV nunca teria tido a energia necessária para vergar a corte, perdão, o partido e concretizar esta bravata libertária contra o entendimento do povo.
Há que tirar-lhe o chapéu por esse feito e recomendar-lhe amistosamente que se retire antes que seja obrigada a interpretar também o papel de Marie Antoinette.
É que cheira a fim de regime.

.

2 comentários:

Irene Pimentel disse...

Este post é mau demais. Apela a quê?

F. Penim Redondo disse...

Irene,
o post não apela a nada, constata.
Como muitas vezes aconteceu na história uma pessoa, ou uma relação, pode ter uma inesperada influência nas grandes decisões políticas.
Aconteceu que vi recentemente um filme sobre a Madame Pompadour e ocorreu-me a analogia.
É ainda mais irónica por a votação ser a primeira do ano em que a República faz cem anos.