quarta-feira, novembro 28, 2007

O que importa é morder o cão

.
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.
O Vítor Dias queixou-se recentemente, a propósito da Conferência Nacional do PCP sobre Questões Económicas e Sociais, da pouca atenção dada pela comunicação social.
Na altura esbocei, sem ofensa, umas explicações:
- o homem do PCP não morde no cão da novidade.
- também já não come criancinhas, que é tema da moda.
- agora o catastrofismo alimenta-se do aquecimento do planeta e dos acidentes rodoviários e não já do "espectro do comunismo", a pairar.
Entretanto a cobertura mediática do caso Luísa Mesquita suscitou-me uma outra grande ideia para garantir a atenção dos meios: expulsar alguém todas as semanas. Parece excessivo mas, pelo que sei, candidatos habilitados não faltarão.
Esta proposta só é válida enquanto não for possível recrutar Santana Lopes e nomeá-lo líder do grupo parlamentar.

3 comentários:

António Vilarigues disse...

Caro Fernando,
Sobre a Luisa Mesquita aqui fica o link http://www.pcp.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=30840&Itemid=245 . Esclarecido, ou nem por isso?
Fazendo ironia diria que há um progresso. O José Magalhães negou que alguma vez tivesse assinado o documento até o Álvaro Cunhal o mostrar em público...

F. Penim Redondo disse...

A Luísa Mesquita sempre me pareceu até demasiado ortodoxa. Como é hábito nestes casos agora está a exceder-se.
Como deves ter visto o meu blog não se destinava a contestar a expulsão nem a discutir a validade de os partidos disporem dos lugares no parlamento a seu belo prazer.

Resolvi "brincar" com a questão da atenção dos media...

nina disse...

como dizia a minha avo devemos sempre ler com atenção para não fazer confusões, ou então ha alguns ja perderam le sens de l'humour...