quarta-feira, novembro 21, 2007

As ambições da Europa


A crónica de António Barreto no Público do dia 18 continha esta excelente síntese sobre as "ambições da Europa" (clicar para ler).
Contra as minhas expectativas o autor abandona a questão para passar, no resto do texto, a dissertar sobre o tratado e a bondade de o fazer votar pelo povo.
Bem mais interessante, quanto a mim, teria sido desenvolver a crítica implícita na forma como as ditas ambições são listadas no texto.
Serão elas desejáveis ? viáveis ? coerentes ? contraditórias ? Alguém terá feito o exercício de explicar como tantos e tais objectivos se podem vir a materializar ?
Ou esta lista é apenas um repositório de todos os anseios ou modas que pairam nos céus da Europa ?
Ninguém parece estar preocupado com isto e portanto eu também não me vou estar a ralar. Quanto ao tratado, já agora, posso desde já anunciar que dispenso que me consultem.
A consulta por referendo neste caso, além de ser um incómodo, poderia criar a ilusão perigosa de que o povo tinha compreendido, escolhido e decidido.
O povo inocente até podia correr o risco de vir a ser responsabilizado.

1 comentário:

marie disse...

O Antonio Barreto tem razão em nos mostrar as contradições da Europe onde esteve a unidade europeia na altura da guerra do Iraq?? o que é que se passa hoje na Europa em relação à imigração?? e tudo o resto??