terça-feira, abril 07, 2009

Galileu na China pela mão dos portugueses

.

Em 1615, cinco anos depois de Galileu Galilei ter anunciado as suas descobertas em livro, o jesuíta português Manuel Dias publicou na China o seu livro Tien Wen Lueh. Foi através deste livro que as novidades científicas do astrónomo florentino chegaram pela primeira vez ao conhecimento dos intelectuais chineses. A obra está a ser estudada por dois portugueses

O livro é um diálogo entre um ocidental e um chinês. Às perguntas do oriental, o primeiro fala de astronomia e de cosmografia e relata, no fim, em pormenor, as descobertas de um grande sábio ocidental, com um "maravilhoso instrumento", que mostra "a Lua mil vezes maior". O livro, escrito em chinês, tem por título Tien Wen Lueh (Tratado de Questões sobre os Céus) e foi publicado na China, em 1615. O seu autor chamava-se Manuel Dias e era um jesuíta português. Foi pelo seu punho que a China tomou conhecimento, pela primeira vez, das descobertas realizadas por Galileu, cinco anos antes, graças às observações com telescópios.
Este é o início de uma curiosa "história da história", publicada pelo DN no dia 4, acerca de um tempo em que Portugal exportava mais do que futebolistas e treinadores.
Além deste artigo quem tiver interesse pode ler mais aqui: http://cvc.instituto-camoes.pt/ciencia/e8.html
.

1 comentário:

Maria disse...

Como diz após a notícia fomos(portugueses) tão atentos, tão perspicazes, tão bons descobridores(não concordo com a imposição que daí decorria)e hoje quando se tenta tirar a Filosofia do Ensino Secundário, estamos a perder qualidades. "Curso de letras" não dá dinheiro é o que se diz aos filhos. Quase não resta mesmo nada senão o futebol e Magalhães.
Maria Rios