domingo, maio 15, 2011

O povo é que vai cortar a pizza


O problema fulcral depois de 5 de Junho é: que governo vamos ter? Esta é a preocupação principal de quem tenta determinar o seu sentido de voto.
Parece um problema complexo mas, se pensarmos friamente, não é tanto assim.
Vejamos.
O PSD e o CDS recusam formar governo com o PS por considerar que quem criou o problema (da bancarrota) não pode ser parte da solução.
O PS diz que aceitaria formar governo com qualquer partido mas as suas apreciações sobre os programas e, principalmente, as intenções do PSD e CDS demonstram que as considera um atentado terrorista ao estado social. Assim sendo, conclui-se que seria contranatura, e inviável, qualquer aliança entre os que querem destruir e os que querem salvar o estado social.
Partindo do pressuposto de que o vencedor será um dos dois maiores partidos, PS ou PSD, o governo saído das eleições só pode ser ou uma coligação de direita ou uma coligação de esquerda.
Se o PSD vencer e, com ou sem o CDS, conseguir uma maioria teremos uma solução de direita baseada no programa eleitoral do PSD com alguns ajustes introduzidos pelo CDS.
Se vencer o PS sem maioria absoluta, como tudo leva a crer, só há uma possibilidade: o PS tem que encontrar maneira de criar com os partidos à sua esquerda a maioria parlamentar necessária para governar.
É neste quadro, que me parece claro, que os eleitores terão que fazer as suas escolhas.

.

8 comentários:

jod disse...

Portanto.... votamos PSD por um mal menor ou estamos feitos

F. Penim Redondo disse...

Compete a cada português avaliar qual é o mal menor.

josé disse...

Não meparece evidente que o PS ganhe as eleições, não obstante a "boa" imprensa o bom senso há-de prevalecer já quanto ás percentagens- de notar que o CDS nunca disse até hoje expressamente que não fazia aliança com o o PS e está a fazer nesse aspecto uma campnha mt dúbia,concrdo com o que disse hoje o Marcelo acerca disso na tv.

Dédé disse...

O PS fazer alianças com a esquerda? Larga o vinho, pá.

Luís Filipe Maia disse...

tu dizes

PS tem que encontrar maneira de criar com os partidos à sua esquerda a maioria parlamentar necessária para governar.

eu concordo e digo que deve fazer o que não fez anteriormente

encontrar pontos comuns com o Bloco e com o PCP, talvez se

colectasse as acções em bolsa, são 50 M de euros

alterasse as PPPs cóio de emprego aos amigos

se comprometesse a não congelar as reformas mínimas

talvez fosse um princípio de entendimento

Não podem é fazer papel de vítima se apenas quiserem maioria e grilos falantes, para apoiar a política de direita

um abraço

J Eduardo Brissos disse...

Luís,
Resumindo, que deixasse de ser o PS.

candido disse...

Ps coligar-se com a esquerda?
Só se for em sonho! ou talvez nem isso! Doi, não é? Mas é assim, nada a fazer! As eleições só servem para disputar os votos de 25% dos votantes!

Luís Filipe Maia disse...

Eduardo Brissos

Então tem outra opção, é alterar o nome deixar de se chamar socialista e de esquerda e passar a considerar-se no mínimo de centro-direita.
Os partidos não devem servir-se de rótulo de siglas falsas, devem sustentar políticas adequadas à sua ideologia