domingo, abril 20, 2014

Entrevista ao Expresso


2 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

É isso, amigo
Quando lutamos,
ou fazemos a revolução
ou ela vem ter connosco
à cela da prisão

Luis disse...

Olha Fernando,a quartelada militar foi
decisiva para o derrubamento do fascismo lusitano, todavia ignorar o levantamento popular que, de imediato, se lhe seguiu é sempre desvalorizador do papel importante do PCP.
Dissociar as lutas populares é quasi
um refazer das teorias da tomada do poder do Estado e, de facto, a história não contradiz o papel das massas populares.