domingo, agosto 11, 2013

O mais monstruoso


Há, nos dias de hoje, uma coisa que não cessa de me espantar.
O número de homens sérios e inteligentes que se deixa tomar por teorias simplistas e mistificadoras, por perseguições mesquinhas e indignas, por narrativas salvíficas e milagrosas de que se ririam no seu estado normal.
Continuo à espera de os ver acordar, de um momento para o outro, e recuperar a razoabilidade e o gosto dos tempos normais.
Ou então acabarei por me resignar com mais este efeito da crise, o pior e o mais monstruoso de todos

1 comentário:

Luis disse...

Não,o mais monstruoso é o conformismo,a resignação e,quiçá, tolerar o status quo porque se pensa não haver alternativas credíveis. O problema do PS e dos portugueses é,de facto, o chamado memorando de entendimento que, por capitulação ou complexos de culpa assumida,o PS assinou colocando-o a reboque dos interesses financeiros ,interesses que auferem juros pagos com enormes sacrifícios impostos aos portugueses. Enquanto o PS persistir nessa tácita colaboração com os partidos de direita será muito difícil arrumá-lo a uma saída credível...