quarta-feira, maio 30, 2012

AS SECRETAS





O omnipresente "caso das secretas" é apenas um pretexto para discutir indirectamente outras coisas e, por causa disso, os portugueses têm a sensação de não perceber muito bem o que verdadeiramente está em jogo.

O que surge nos meios de comunicação está óbviamente enviesado pelas guerras dos grupos privados contra a privatização da RTP, a cargo do Relvas, e pelas guerras dos tais grupos entre si.
Por outro lado o "caso das secretas" é uma sorte grande para o AJ Seguro, a quem vinham faltando bons temas para além da sua cruzada pelo "crescimento". Ao contrário do PCP e do BE, que ainda não esqueceram os tempos da repressão e vêem as polícias como instituições perigosas a abater, o PS quer apenas tirar partido tacticamente dos embaraços do governo (se algum dia se puxar pelo fio das organizações secretas na sociedade portuguesa o PS até é capaz de ter alguns problemas).
Ou seja, ninguém está realmente preocupado com os segredos de Estado. Nem com a complicadíssima questão de garantir a transparência de organizações que, por definição, têm que ser opacas.


.

1 comentário:

Edgar Carneiro disse...

Parece-me uma apreciação demasiado ligeira sobre a situação