quarta-feira, maio 26, 2010

A vitória é certa...

.

A Associação Renovação Comunista vai apoiar a candidatura presidencial de Manuel Alegre, excluindo qualquer apoio ao candidato a anunciar pelo PCP, disse à Lusa o antigo dirigente comunista Carlos Brito.
Cerca de oito anos após a sua saída do PCP, Carlos Brito mantém-se na vida política, como presidente do Conselho Nacional da Associação Renovação Comunista, que declara o seu apoio à candidatura de Alegre às eleições presidenciais.
Questionado sobre se a associação admitiu ficar ao lado do candidato a anunciar pelo PCP, Carlos Brito - que fez parte da comissão política de Manuel Alegre nas últimas eleições - referiu que os elementos da Renovação Comunista «nem pensaram, nem sabiam quais eram as intenções do PCP», apesar de considerar «previsível» que este partido decidisse avançar com um candidato próprio.
«Pensamos que a candidatura de Manuel Alegre é uma candidatura para ganhar. Não íamos para outras soluções que não têm esse objectivo e têm outros objetivos, respeitáveis, contudo», referiu.
Para o antigo líder comunista, «o facto de a candidatura de Manuel Alegre poder apresentar-se como uma candidatura vencedora vai ter uma influência positiva em todos esses movimentos de opinião que o Alegre representa e que representou muito bem na sua anterior candidatura».
Manuel Alegre, acrescentou, «deu voz a esses movimentos e agora vai confirmar-se de uma maneira mais substancial ainda».
Questionado sobre o peso actual da Renovação Comunista, Carlos Brito justificou que este movimento «não optou por ser um partido político».
«Se o tivesse feito, tivesse feito um trabalho de proselitismo, de recrutamento, naturalmente teria muito mais adesões do que tem no quadro político em que se colocou, de uma associação política. Essa circunstância limita o seu desenvolvimento e crescimento», disse Carlos Brito, referindo que o movimento cultiva «muito a vertente ideológica e de debate», com «um acento muito forte no marxismo», ao mesmo tempo que mantém «um pé na actualidade política do país».
.
TVI24 online, 22.05.2010
.

3 comentários:

samuel disse...

"nem sabiam quais eram as intenções do PCP», apesar de considerar «previsível» que este partido decidisse avançar com um candidato próprio."

Espantosa, esta capacidade de "prever" uma coisa anunciada publicamente e há tanto tempo... genial!

Joao Pedro disse...

Tem razão o Samuel.
Um dia destes o Tejo está pejado de réplicas do velho cruzador Aurora e esta associação diz que não sabe de nada.

Cumprimentos,oh Redondo

F. Penim Redondo disse...

Samuel e João Pedro,

Penso que o último parágrafo é a chave para as vossas dúvidas.
Lá se diz que a RC tem apenas «um pé na actualidade política do país».