sábado, maio 30, 2009

A "economia de casino" ou as nossas economias no casino ?

.

A propósito de um texto de Helena Roseta intitulado "Ser de esquerda, hoje", publicado no "jornal I" de hoje, apraz-me fazer o seguinte comentário:

O valor da dicotomia Mercado/Estado é fácil de perceber quando pensamos que Oliveira e Costa foi Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e podia ter sido Governador do Banco de Portugal, ou seja, o responsável máximo pela regulação bancária.

Onde a esquerda acabará por encontrar a sua razão de ser, isso sim, é na criação e disseminação de novas formas de produzir e distribuir em sociedade. Mais justas e mais produtivas.

Essa é a tarefa que tarda mas é essa a verdadeira pedra de toque para uma definição da esquerda.

Toda a retórica à volta da crise em que estamos mergulhados só serve para esconder a falta de alternativas a essa “economia de casino” que abominamos mas onde, por não termos outras respostas, inevitavelmente regressaremos.
Nas circunstâcias actuais pode até dizer-se "mal de nós se não regressarmos".
.

sexta-feira, maio 29, 2009

Para que serve a requalificação do Terreiro do Paço ?

.


A Câmara de Lisboa decidiu no dia 27 emitir parecer favorável sobre o estudo prévio de requalificação do Terreiro do Paço, elaborado pela Sociedade Frente Tejo, e o novo conceito de circulação na frente ribeirinha, entre Santa Apolónia e o Cais do Sodré.

O presidente da Câmara Municipal, António Costa (PS), foi obrigado a exercer o voto de qualidade para que o parecer favorável sobre o estudo prévio fosse aprovado.

Esta "requalificação do Terreiro do Paço" parece ser mais uma manobra de diversão que enche o olho mas não resolve nada de essencial. A fruição da bela praça não está impedida pelo facto de o chão não ser aos losangos nem sequer pelo facto de os passeios laterais serem demasiado estreitos.

As pessoas não frequentam o Terreiro do Paço tanto quanto gostariam porque:

1. o acesso às vistas do rio é complicado (mesmo quando não há tapumes) - por isso não devia haver trânsito entre a placa central e o rio mesmo que continuasse a existir nos outros lados da praça.

2. não há no T. do Paço quase nada para fazer, ou ver, ou até beber e comer - por isso havia que despejar os ministérios e substituí-los por salas de exposições, teatros e cafés

A requalificação aprovada no dia 27, com pompa e circunstância, nada disto resolve.

.

Just do it

.




.

quinta-feira, maio 28, 2009

Ancien Régime

.




.

Saudades de Niagara

.



Saudades de Niagara
.

Eles vêm do espaço para nos democratizar ?

.





O Diário do Povo, porta-voz do Partido Comunista da China, publicou, nesta segunda-feira 25 de Maio, fotos de um objecto voador não identificado, atitude que não é comum no país, uma vez que a imprensa oficial chinesa tende a censurar tal tipo de informações.
As imagens, capturadas a 21 de Maio, mostram vários objectos de luzes azuis e verdes perto do templo do Grande Ganso Selvagem, um dos monumentos mais conhecidos da cidade de Xian, aquela onde foi encontrado o fantástico exército de guerreiros de terracota enterrados.
Numa das fotos é possível ver a claridade purpura que o ovni projectou.
Parece que os ovnis para além de civilizações galácticas são também portadores de um novo espírito de abertura para o Império do Meio.
.

quarta-feira, maio 27, 2009

Oliveira e Costa Talk Show

.


A passagem de Oliveira pelo Parlamento, e pelas televisões, constituiu um episódio lamentável.
Durante horas, enquanto houve paciência, assistimos a um espectáculo deprimente: deputados impreparados técnicamente tentavam, com perguntas infantis, fazer escorregar um "macaco velho" que se entretinha a gerir a difusão das mensagens que mais lhe interessavam.
Oliveira e Costa dava-se ao luxo de fazer humor a que os deputados reagiam com sorriso amarelo. Ele mostrava assim, com à vontade, que se encontrava entre a sua gente.
No ar pairava o espectro da inutilidade de um interrogatório que os deputados só quiseram para fingir que têm mão na corrupção e controlam o "poder económico".
Um mau serviço à democracia.
.

segunda-feira, maio 25, 2009

A mentira das imagens (2)

.


Eu cresci numa casa onde os livros eram um objecto raro. Teria eu uns cinco ou seis anos (nasci em 1945) a Editorial Século, ligada ao jornal que então ostentava esse nome, publicou dois grandes e grossos volumes intitulados "50 Anos da História do Mundo, 1900-1950".

.

.

Por razões que desconheço o meu pai, que fazia comércio com artigos de segunda-mão, adquiriu estes enormes livros, que eu tinha dificuldade em mover, e resolveu levá-los para casa. Foram aquelas 1400 páginas pejadas de fotografias que fizeram as vezes da televisão que então não existia.
.


.
O primeiro volume era integralmente dedicado à política internacional enquanto que o segundo continha vários capítulos dedicados às artes e terminava com a parte relativa ao meio século português.
.
.
Vem tudo isto a propósito de algumas reflexões que tenho feito acerca da minha atracção pelas imagens e da importância que lhes atribuo no processo da comunicação em competição ou complemento com os textos. Tenho-me interrogado sobre as razões de tal sortilégio.
.
Creio que o meu contacto com este enorme livro ilustrado, numa fase do meu desenvolvimento em que não conseguia compreender o alcance dos textos e não tinha ninguém que me ajudasse a descodificá-los, deve ter estado na origem do meu interesse pela imagem e, em particular, pela fotografia.
.
Passei a vida a reencontrar as imagens que descobrira nas longas horas que passava a folhear o livro e, ainda hoje, algumas dessas imagens são referenciais para mim. Quadros de Picasso ou Klee, rostos de compositores ou poses de bailarinos, ficaram impressas na minha memória com enorme força, numa época em que as imagens ainda não proliferavam por todo o lado.
Quando perante uma imagem sou atacado pelo "déjà vu" suspeito sempre de que seja apenas mais um afloramento do calhamaço.
.
Em Abril iniciei estas deambulações sobre as imagens e o seu significado (ver aqui).
Dentro em breve voltarei a este tema que me interessa bastante.
.

sábado, maio 23, 2009

A roer-me de inveja

.

Na China, uma criança com 22 meses consegue ler mais de dois mil caracteres chineses, dos três mil que são usados mais regularmente para se conseguir comunicar em chinês.
Para Li Tiangi, que faz dois anos daqui a menos de um mês, identificar caracteres é apenas mais um jogo divertido.
Segundo a Reuters, a primeira palavra desta menina foi «saída de emergência» enquanto passeava pelo parque com o avô. A mãe achou estranho e reparou que a criança ficava paralisada a observar os painéis de informações nas ruas e por brincadeira começou a ensinar-lhe alguns caracteres chineses.
Na China, quem conseguir identificar mais de 1500 caracteres é considerada uma pessoa culta.

IOL Diário, 22.05.2009
.

sexta-feira, maio 22, 2009

Requerimento a Fernanda

.


Uma espécie de regresso a Alexandre O'Neill este fabuloso post publicado em "O DOMÍNIO DOS DEUSES".
Vale uma chapelada.
.

quinta-feira, maio 21, 2009

Junk World

.



.
.


Um casal norte-americano do Texas, Dan e Sara Bell, viu Jesus num pacote de snacks de queijo.
Num dia normal, em que se deslocaram a uma estação de serviço como normalmente fazem Dan e Sara Bell compraram um pacote de Cheetos.
Abriram-no e começaram a comer os aperitivos.
Foi nesse momento que viram o Messias.
“Oh meu Deus olha para isto! Parece mesmo Jesus”, recorda Sara.
O casal baptizou o aperitivo de queijo de “Cheesus” e agora está a pensar vendê-lo no site de leilões eBay.

“Se só conseguirmos 25 cêntimos preferimos comê-lo”, contam. Por enquanto, o “Cheesus” está guardado numa caixa de plástico.
DN, 21.05.2009


Um pacote de junk food, Cristo e o eBay constituem uma mistura que explica exemplarmente o mundo em que vivemos, mesmo que o nosso lado intelectual consiga fingir que tal mundo não existe.
.

segunda-feira, maio 18, 2009

40 ANOS com Pessoas

.



O fio condutor da exposição é a descoberta da diversidade cultural e étnica, mesmo onde e quando a modernidade vai fazendo os seus “estragos”. Adicionalmente permite comparar o olhar de um mesmo fotógrafo em situações geográficas muito diferentes e em fases da vida muito distanciadas.
As fotografias, divididas em dois grupos, foram produzidas com um interregno de cerca de 40 anos.
Grupo 1968/9 – fotografias a preto e braco, feitas na Guiné Bissau Durante dois anos percorri a Guiné, em serviço, e fui aproveitando essa oportunidade para contactar e registar o dia-a-dia do seu povo.Enquanto o fazia tinha a sensação de suspender a guerra. O conjunto de imagens apresentado documenta pessoas a trabalhar ou a divertir-se nos seus ambientes próprios, tal como as via um jovem tenente da Armada de 22 anos.
Grupo 2006/8 – fotografias a cores feitas na China, Índia e Nepal Um conjunto de viagens ao Oriente permitiu-me comparar a actualidade dos três países que tanta curiosidade despertam hoje. Na China são os traços do desenvolvimento acelerado que mais marcam. Na Índia e no Nepal somos mais tocados pela serenidade da beleza ancestral. O Nepal funciona, de certa forma, como recipiente misturador das influências dos outros dois gigantes. O conjunto de fotografias expostas mostra rostos e atitudes quotidianas fotografados nestes três países asiáticos que constituem uma continuidade geográfica.

Fotografar pessoas é, em vários sentidos, um desafio. Elas são um detalhe na paisagem mas um detalhe que encerra um mundo.Quando fotografamos as pessoas elas deixam de ser uma abstracção, um número no meio de milhões, e a sua individualidade impõe-se de forma comovente.
Penso que esta exposição mostra como, em 40 anos, nunca deixei de ser atraído pela magia desse processo.

Inauguração dia 21 de Maio pelas 21 horas
Centro de Exposições de Odivelas
Rua Fernão Lopes - Tel. 219 320 800
Terça a Domingo das 10h00 às 23h00
.

domingo, maio 17, 2009

Ainda há lugares assim

.
Às onze horas do Sábado dia 16 de Maio, num belo dia se Sol, era possível:

olhar para Norte

e olhar para Sul

e não ver ninguém, nem edifícios, ao longo de quilómetros.

Ainda há lugares assim em Portugal. Era bom mantê-los.

Imagens obtidas com um básico telemóvel.

.

sábado, maio 16, 2009

LoveLand

.


A China está a tornar-se fonte de notícias fantásticas. Ainda hoje o Expresso faz a primeira página com Hugo Monteiro, o primo de Sócrates, a partir de Shaolin.

Nós não podíamos ficar atrás do Expresso e por isso damos conta de LoveLand, um parque dedicado ao sexo que abrirá em Outubro, na cidade chinesa de Chongqing.

Segundo publica o jornal China Daily, uma estátua da parte inferior do corpo feminino colocada no arco de entrada do parque tem sido o principal alvo de críticas.
"Na China, o sexo é um tema tabu e as pessoas realmente necessitam ter mais informações sobre o assunto", disse o criador do parque Lu Xiaoqing , de acordo com a agência Ansa.

Será que também vão distribuir preservativos didáticos como nas escolas portuguesas ?

.

sexta-feira, maio 15, 2009

Olhar as Subculturas, mas com mais interesse

.



Há uns tempos o site de fotografia OLHARES e a FNAC lançaram um concurso com o tema "Olhar as Subculturas" (ver aqui). A ideia era seleccionar sete fotografos portugueses e outros tantos brasileiros e, com as 28 fotografias seleccionadas, fazer uma exposição que percorresse algumas lojas da FNAC em Portugal e no Brasil. Eu concorri com fotografias do Carnaval de Lazarim e fui um dos sete portugueses selecionados.
Estando ontem no Porto resolvi ir ver a exposição que, neste momento, se encontra no Norte Shopping perto de Matosinhos (também está numa loja FNAC em S. Paulo, no Brasil).
Como podem ver nas fotografias publicadas mais acima, feitas com o telemóvel, a exposição encontra-se no café/bar da loja FNAC, bastante espaçoso mas com as mesas tão perto da parede que por vezes é preciso pedir licença aos seus ocupantes para nos aproximarmos do material exposto.
Por outro lado verifiquei que cada fotografia tem como legenda apenas o respectivo nome e a indicação do autor. Não há qualquer outra informação sobre o que significa, em que contexto se integra e porque constitui ilustração de uma subcultura.
Se a ideia do concurso, à partida, era chamar a atenção para as subculturas acho que desta forma tal objectivo fica muito aquém do desejado.
Esclareço que teria esta mesma opinião ainda que as fotografias expostas (algumas) não fossem da minha autoria.
P.S. - Passei o dia no Porto de um lado para o outro. Constatei que todas as linhas de metro (menos uma) conduzem ao Estádio do Dragão. Agora percebo porque ganham sempre o campeonato.
.

A Menina Júlia

.


Por mais alguns dias é ainda possível ver este excelente espectáculo. Os actores têm um trabalho notável, o que no caso de Beatriz Batarda vem já sendo uma constante.
É um facto que as relações de classe já não têm as características da época em que a peça foi escrita, nem as relações entre os sexos seguem os mesmos padrões.
Isso transpõe a leitura para um plano que, na minha opinião, desaconselha abordagens realistas (como é o caso).
De qualquer modo trata-se de um grande texto e de um grande espectáculo a não perder.
.

quinta-feira, maio 14, 2009

A outra crise

.


Pequim, 13 Mai (Lusa) – As vendas a retalho na China, um dos principais indicadores do consumo interno, aumentaram 14,8 por cento em Abril, anunciou hoje o Serviço Nacional de Estatísticas.
O aumento foi mais acentuado nas zonas rurais (16,7 por cento), onde a maioria da população chinesa ainda vive.
Confrontado com o persistente declínio das exportações e a redução da procura internacional, sobretudo nos países mais ricos, o governo chinês investe agora no aumento do consumo interno.
Nos primeiros quatro meses deste ano, as vendas a retalho na China aumentaram 15 por cento em relação a igual período de 2008.
As exportações, pelo contrário, tem caído desde Novembro passado e em Fevereiro registaram a pior queda em mais de uma década (25,7 por cento).
Terceira maior economia do mundo, a seguir aos Estados Unidos e Japão, a China espera crescer este ano cerca de 8 por cento – 1,5 pontos acima do que o Banco Mundial prevê.

________________

O prémio Nobel da Economia, Joseph Stiglitz, acredita que a China pode sair "vencedora" da actual crise financeira devido à elevada taxa de poupança do país e às medidas tomadas pelo Governo. "O Governo chinês tomou medidas muito rápidas para enfrentar a crise financeira", disse Joseph Stiglitz num fórum que está a decorrer hoje em Pequim. As elevadas taxas de poupança podem ajudar as economias asiáticas a ultrapassar a actual crise, acrescentou o economista, citado pela agência Bloomberg.

terça-feira, maio 12, 2009

O caso Lopes da Mota

.


O procurador-geral da República (PGR) determinou hoje a abertura de um processo disciplinar ao presidente do Eurojust, Lopes da Mota, sobre as alegadas pressões feitas aos dois procuradores responsáveis pelo "caso Freeport".
Diário de Notícias, 12.05.2009

Então andaram um mês a investigar para saberem se podiam começar a investigar ? Agora recomeçam a investigação daquilo que já foi investigado ?
É estranho pois não se trata de um caso complexo. Limita-se a duas conversas entre o "acusado" e as "vítimas".
Mais um caso paradigmático das infindáveis volutas em que se esgota a justiça em Portugal.
.

segunda-feira, maio 11, 2009

Casos de polícia

..


É verdade que não se pode "suspender a democracia" para resolver os problemas do país como, certamente por lapso, referiu Manuela Ferreira Leite.

Mas também não se pode desculpar o banditismo e os comportamentos criminosos crismando-os de "questões sociais" como, certamente de boa-fé, fez Jerónimo de Sousa.

Os direitos cívicos e a ordem pública, em democracia, não são moeda de troca em circunstância alguma.

(Ver a este propósito o texto de Ferreira Fernandes no DN)

.

domingo, maio 10, 2009

O sentido da transformação do mundo

WASHINGTON, 9 de Maio - A General Motors (GM) transferirá mais de sua produção de veículos dirigidos para os Estados Unidos para unidades na China, Coreia do Sul, México e Japão. Por outro lado, a produção na Europa, no Canadá e na Austrália será diminuída, afirmou hoje o Detroit News em seu site.
Estadão
Pequim, 9 mai (EFE).- As vendas de veículos aumentaram na China 25% anualizado, até alcançar um número recorde no mês de abril de 1,15 milhão de unidades, segundo a Associação de Fabricantes de Automóveis da China (CAAM, na sigla em inglês).
Além disso, a produção de veículos no gigante asiático também aumentou no mês passado 17,9% anualizado, alcançando 1,157 milhão de unidades, assegurou o mesmo relatório.
A fabricação de veículos de passageiros subiu 37,37% em relação ao ano anterior, enquanto a produção de caminhões, caminhonetes e ônibus aumentou 1,38% anualizado.
Segundo a associação, o auge do mercado automobilístico é consequência do pacote de ajuda do Governo chinês, ao recortar os impostos sobre as aquisições de carros com reduzida capacidade de motor e oferecer subvenções aos compradores em zonas rurais.
A China conta com 57 milhões de veículos em suas estradas, embora entre eles apenas 15,2 milhões são de propriedade privada, de acordo com os dados oficiais de finais de 2007.
Globo


.

sábado, maio 09, 2009

Catálogo dos blocos

..

É só escolher

.

sexta-feira, maio 08, 2009

Falar verdade a mentir

.


A verdade e a mentira continuam a ser grandes temas nos tempos que correm. O Teatro de Carnide apresenta a sua nova produção intitulada "Falar Verdade a Mentir", de Almeida Garret, com encenação de Ricardo Gageiro.
.

quinta-feira, maio 07, 2009

quarta-feira, maio 06, 2009

Falta-lhe um bocadinho assim...

.

.

Campeonato Mundial da Imbecilidade

.

O medo da gripe dos porcos levou a direcção do jardim zoológico de Cabul a pôr em isolamento o único porco conhecido no Afeganistão.
O animal foi fechado numa casa de inverno e impedido de andar na relva com a sua melhor amiga, uma cabra.
“Fechamos o porco temporariamente na sua casa de Inverno por causa da gripe suína”, disse o director Aziz Gul Saquib.
“A maioria das pessoas têm poucas informações sobre a gripe suína e ao verem o porco podem entrar em pânico com medo de serem contaminadas. Para evitar que isso aconteça pusemos o porco longe dos olhares públicos há dois,” acrescentou.
O porco é o único suíno no Afeganistão. O consumo de carne de porco é proibido pelo Islão.
O animal foi oferecido da China ao Afeganistão em 2002. Pequim quis contribuir para a reconstrução do principal zoo da capital, que foi praticamente destruído durante a guerra civil de 1992 1996.

DN, 06.05.2009

Um pouco por todo o mundo, e mesmo em Portugal, vão surgindo candidatos ao primeiro prémio no Concurso Mundial da Imbecilidade. O Zoo de Cabul é um sério concorrente.
.

Museu da Corrupção


O Diário do Comércio, no Brasil, inaugurou o Museu da Corrupção on-line, "para dar aos seus leitores uma medida referencial do que acontece de vergonhoso nos bastidores de todas as esferas de poder".
Se esta moda pega...

.

terça-feira, maio 05, 2009

Encontro em Samarcanda

.


Devem ser os 37º de febre mais badalados desde que há gripe em Portugal. Sermos um dos 20 países com um caso, confirma duas coisas. A boa: Portugal é um país aberto ao Mundo. A má: de cada vez que há dúvidas por cá, há que esperar pelo que diz um laboratório de Londres... Entretanto, o congressista americano Ron Paul, de 73 anos, lembra-se de, em 1976, durante um surto de gripe suína, o Congresso votar a vacinação obrigatória. Essa gripe matou uma pessoa; a vacinação, 25. As pessoas a correr para os hospitais - incubadores de todos os vírus - remete-nos para um sábio conto árabe: o Encontro em Samarcanda. Estava um soldado a passear no mercado de Bagdad quando se cruzou com a Morte, que o olhou ameaçadoramente. O soldado correu ao califa, que lhe deu o mais rápido cavalo, e o conselho de fugir para Samarcanda. Pouco depois, tendo o califa encontrado a Morte, pediu-lhe explicações por ela ter ameaçado o seu soldado. "Ameaçado?" - espantou- -se a Morte - "Eu estava era admirada por o cruzar em Bagdad. Tinha encontro marcado com ele, hoje, em Samarcanda."
Ferreira Fernandes, Diário de Notícias, 05.05.2009
.

segunda-feira, maio 04, 2009

Diagnóstico demolidor

.

...
Há coisas simples que deviam ser fáceis de entender e que o economista Vítor Bento explica de forma cristalina no seu recente livro Perceber a Crise para Encontrar o Caminho.
A primeira é que somos uma economia pequena, incapaz de se sustentar por si só, que nunca - sublinho: nunca - conseguiu, no século XX e com excepção do período da II Guerra, exportar mais do que tem de importar. Até para alimentar estes onze milhões de almas. A segunda é que, dependendo a nossa economia da competitividade das nossas exportações, entre 1999 e 2007 os custos unitários do trabalho cresceram 28 por cento (pior só a Grécia e a Irlanda). A terceira é que a produtividade por hora de trabalho diminuiu por comparação com a média europeia, o que significa que produzimos mal e a nossa mão-de-obra já não é barata. A quarta foi que, apesar de só nos antigos países de Leste se ter investido mais do que em Portugal, a relação entre o volume dos investimentos e a criação de riqueza foi a mais baixa da Europa, a par com Itália, o que significa que investimos muito mas mal nestes últimos dez anos. A quinta é que consumimos, em média, mais 10 por cento do que produzimos, o que significa que nos endividámos - Estado, empresa e particulares - até à total irracionalidade: a nossa dívida externa correspondia no final de 2007 a 202 por cento do PIB. Finalmente, porque continuamos sem ter as contas públicas minimamente em ordem, ao contrário do que se chegou a anunciar.
A acrescentar a este quadro geral há que referir a insistência em investimentos sem qualidade para induzirem o crescimento, mas que trarão mais dívida externa, o estrangulamento do crédito, a assumida degradação de muitas prestações sociais, em especial das pensões de reforma, a incapacidade (medida por instâncias internacionais) de reduzir a burocracia pública e o total colapso do sistema de Justiça.
Em muitos aspectos estamos hoje pior do que em 1983-84, quando o FMI teve de intervir em Portugal, mas os economistas que alertam para a possibilidade de uma ruptura nas nossas contas públicas não exageram: hoje boa parte dos números macroeconómicos são piores do que nessa época, e se o euro nos protege, o euro também nos retira capacidade de reacção. Para além de que não se vê quem queira enfrentar estas verdades.
Mas uma coisa é certa: "O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos, as consciências em debandada, os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido. Não há instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não há nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Ninguém crê na honestidade dos homens públicos. Alguns agiotas felizes exploram. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia".
Obrigado, Vítor Bento, por nos teres recordado estas palavras certeiras, mesmo não sendo de tua autoria. O diagnóstico data de Maio de 1871 e é da lavra de Eça de Queirós...
Editorial de José Manuel Fernandes no Público 04.05.2009


Depois deste diagnóstico demolidor só me resta ler o livro para ver o que restou como solução para o país. Se é que restou alguma coisa.
Acho que se deve saudar esta iniciativa editorial sobre a crise e como sair dela, num país onde quase só se discutem os fait-divers.
.

G1


"Os Estados Unidos deveriam se apressar a fazer uma reunião do G-2 com a China antes que ela faça um G-1 sozinha".
Niall Ferguson (ver aqui)

Maratona da Masturbação



Esta "Maratona da masturbação", levada a cabo em S. Francisco na Califórnia, é uma iniciativa destinada a fomentar a prática da masturbação (numa ótpica de sexo seguro) e também a recolha de fundos para obras de caridade. O nosso mundo está cheio de causas inadiáveis.
Saiba mais AQUI

.

domingo, maio 03, 2009

Xangai 2010

.

Em 2010 terá lugar em Xangai, entre Maio e Outubro, um grande evento internacional designado "Better City, Better Life".
Não me recordo de ter lido qualquer referência a este acontecimento em Portugal apesar de muitos países terem já publicitado a sua adesão e até o design dos pavilhões com que estarão presentes na China. Aqui fica um vislumbre.
.
.
.





.

sexta-feira, maio 01, 2009

1º de Maio



Expresso, Actual, 01.05.2009
.