domingo, maio 10, 2009

O sentido da transformação do mundo

WASHINGTON, 9 de Maio - A General Motors (GM) transferirá mais de sua produção de veículos dirigidos para os Estados Unidos para unidades na China, Coreia do Sul, México e Japão. Por outro lado, a produção na Europa, no Canadá e na Austrália será diminuída, afirmou hoje o Detroit News em seu site.
Estadão
Pequim, 9 mai (EFE).- As vendas de veículos aumentaram na China 25% anualizado, até alcançar um número recorde no mês de abril de 1,15 milhão de unidades, segundo a Associação de Fabricantes de Automóveis da China (CAAM, na sigla em inglês).
Além disso, a produção de veículos no gigante asiático também aumentou no mês passado 17,9% anualizado, alcançando 1,157 milhão de unidades, assegurou o mesmo relatório.
A fabricação de veículos de passageiros subiu 37,37% em relação ao ano anterior, enquanto a produção de caminhões, caminhonetes e ônibus aumentou 1,38% anualizado.
Segundo a associação, o auge do mercado automobilístico é consequência do pacote de ajuda do Governo chinês, ao recortar os impostos sobre as aquisições de carros com reduzida capacidade de motor e oferecer subvenções aos compradores em zonas rurais.
A China conta com 57 milhões de veículos em suas estradas, embora entre eles apenas 15,2 milhões são de propriedade privada, de acordo com os dados oficiais de finais de 2007.
Globo


.

1 comentário:

Carlos Santos disse...

Caro Fernando,

A 27 Junho do ano passado fez um comentário no jugular sobre os bancos controlarem a lei do arrendamento. O Henrique Raposo, este Sábado pega nessa tema no Expresso e defende que isso era uma solução até para o mercado de trabalho. Eu não concordo muito com o que ele diz, e deixei a minha opinião num texto que lhe pedia que lesse. Cito lá a sua opinião de 27 de Junho.
A partir disso, podia fazer aqui no seu blogue sobre se concorda ou não comigo. Se inserir o link abaixo no post eu vou saber automaticamente e venho ler. O que acha?
Um abraço,
Carlos Santos