segunda-feira, julho 25, 2005

Às arrecuas



Depois de várias trapalhadas e de muitos dedos no ar tudo leva a crer que nas próximas presidenciais nos vão obrigar a escolher entre Cavaco e Soares.

Trata-se por um lado da demonstração da decadência da nossa democracia, que já progride às arrecuas, e por outro de uma autêntica provocação perpetrada pelos dois maiores partidos.

Numa altura em que o regime, tendo tomado consciência da sua profunda crise, devia estar a gerar novas ideias, novos políticos ou mesmo novos partidos, eis que nos é apresentado um menu aonde constam os dois principais responsáveis pelo “estado a que isto chegou”.

Bem diz José Gil que os nossos males resultam no essencial de nunca sermos capazes de responsabilizar ninguém.

Ao votar no Cavaco ou no Soares, a grande maioria do povo português como que ilibará a classe política das suas responsabilidades e, sem o dizer expressamente, aceitará para o povo as culpas do cartório. Só se for pelo “deixa andar”...

2 comentários:

Anónimo disse...

MANIFESTO CONTRA O TGV E O AEROPORTO DA OTA

Portugal vive hoje uma das piores crises económicas dos últimos 30 anos! A economia está a recuar e a taxa de desemprego oficial (7.5%) esconde ainda, muitos mais trabalhadores no desemprego!(550mil) As fábricas, deslocalizam-se impunemente para países onde a mão de obra é mais barata e os trabalhadores portugueses, defronte das opções restantes (fome ou escravidão assalariada), emigram também eles em busca de melhores condições de vida!
Mas aqui há responsabilidades atribuídas! Os sucessivos governos PS, PSD e também CDS/PP tem culpas no cartório! As erradas opções governamentativas que se tomaram ao longo dos anos, contribuíram largamente para a precarização do trabalho e a destruição do sistema produtivo nacional! Em prol e ordem das directivas europeias, cada vez produzimos menos e cada vez mais a riqueza do nosso país decai!
Contrariando todas as expectativas, nas quais declinavam a hipótese deste conselho de ministros ser menos eficiente e produtivo que o anterior. Iniciou o mandato, abriu a desgraça! O governo de Sócrates, avançou desde logo com o aumento do IVA quebrando assim uma promessa eleitoral. Não revogou o código de trabalho (medida ansiosamente esperada) e ainda retirou inúmeros direitos à função pública. Direitos estes, conquistados com muitas lutas e que serviam de referência para futuras metas do sistema privado!
Noutro tom, mas com o mesmo objectivo, Sócrates apresentou a nova "teoria da tanga", reformulada e em diversos actos. Continuando a obsessiva fixação pelo défice, apelou ao povo português, para uma vez mais "apertar o cinto e compreender a situação”: a grave crise que o país está a atravessar!
E quando todo o discurso estava assente na máxima: "É preciso reduzir a receita e aumentar a produtividade", eis que é apresentado o plano prioritário de investimentos, onde figuram estes dois projectos megalómanos:
- TGV
- Aeroporto da OTA
Não se trata de um investimento na produção, inovação ou no combate ao desemprego! São dois projectos ligados aos transportes, de milhares de milhões de euros, completamente dispensáveis em qualquer altura, ainda mais em tempo de crise!

Protesta contra esta hipocrisia!

Apela à defesa do sistema produtivo nacional!

Luta por mais direitos sociais!

SUBSCREVE ESTE MANIFESTO!!!

http://contratgveota.pt.vu

Anónimo disse...

- Discordo de que sejam só os politicos os culpados. Sem pretender ser extremista, creio que parte da culpa seja de facto do povo. Senão vejamos. Sempre que existe eleições autárquicas, como exemplo, o candito corre o risco de não ser reeleito, caso ele não tenha na ultima festa da vila ou cidade, contribuido com mais fundos para a mesma. O povo, demonstra alhear-se do facto de que a camara esteja sem fundos. Põe em practica o velho ditado enquanto houver "pão e circo" está tudo bem. Neste mundo Lusitano, os politicos são excelentes exploradores desse facto e, quando a coisa estiver impossivel de governar, vão sempre atribuir a culpa ao povo como de costume e na realidade é verdade, porque é um povo muito covarde, fala muito e não faz nada. Para terminar, dizia há tempos um amigo meu depois da queda da monarquia, os maiores "pulhas" que apareceram emportugal, foram Antonio Salazar, Cardeal Cerejeira epor fim om Dr. Mário Soares. ...e, não é que tem razão?!