quinta-feira, março 07, 2013

NUNCA GOSTEI DO CHAVEZ



 
ou seja, nunca gostei daquilo que Chavez representava.
Ele era o símbolo mais gritante da ilusão sobre o socialismo como uma espécie de caridade que os dirigentes "humanistas" praticam para salvar o povo da pobreza.
Mas nem todos têm petróleo e é uma grande mistificação pensar que uma nova sociedade, mais justa, depende da bondade súbita dos governantes em vez da transformação lenta e profunda das relações de produção.
Por isso, sem pôr em causa a sinceridade do seu populismo, e até simpatizando com a sua personalidade espontânea, acho que o seu "socialismo do Século XXI" causou grandes prejuizos ao progresso da humanidade.
Não quis deixar de o dizer agora que a fúria dos obituários amainou e que a reflexão talvez se torne, de novo, possível.


.

4 comentários:

Rogério Pereira disse...

Por favor, fala-me dos prejuizos do "chavismo" infligidos à humanidade... é que não me parece que o "Chavismo" se tenha limitado a dar migalhas proporcionadas pelo petróleo... e escusamos (ambos) de falar de homens, falemos das obras deles...

Anónimo disse...

Olha a novidade !!!!

João Pedro

Anónimo disse...

-Mais uma grandiosa analise da autoria de sua excelência




aferreira.

Anónimo disse...

- Já agora explique o que representava Chavez?
-Você conheceu a Venezuela ou melhor conheceu as condições em que vivia a esmagadora maioria do Povo venezuelano antes da chegada ao poder de Chavez?
-Será que é populismo investir em programas sociais perto de 50% dos proveitos do petróleo, num país nas condições sócio-económicas da Venezuela

-Imagine que lhe cabia a si lidera um povo, num país como a Venezuela - Quais as suas prioridades ou aquelas que o senhor acha-se as mais correctas .

gostava que as descreve-se.

aferreira