sexta-feira, fevereiro 22, 2013

O Mentor

.



é um filme abracadabrante, sobre o encontro de dois homens.
Freddie Quell é um ex-combatente com o espírito retorcido num corpo retorcido, Lancaster Dodd é um improvavelmente sanguíneo e telúrico guia espiritual.
Os dois polos atraem-se e repelem-se durante duas horas em que o espectador procura desesperadamente um sentido. 
No fim resta fazer o balanço das consequências desta terapia mútua que não devemos menosprezar. 
O filme de Paul Thomas Anderson é uma experiência marcante servida por duas interpretações brutais (Joaquin Phoenix como Freddie e Philip Seymour Hoffman como Dodd)

1 comentário:

Luis disse...

O Mentor não consegue transmitir-nos a força de um manipulador. Manipulador não pode ser sinónimo de uma personalidade nanifestamente inconsequente,de um prevertido que , ele próprio, não sabe para onde se dirige; é dotado de uma personalidade sem dotes de empatia; acresce que o individuo supostamente manobrado, não o consegue ser ; é um "lumpen" social ,sem eira nem beira,que se isola no alcool,que tanto se encosta como se afasta do grupo que o recolheu... j´vimos bem melhor.